Augusto Neves de Sousa – Cidadão Nobre

Descubra os motivos que levaram a Nobre Casa de Cidadania a atribuir o título Cidadão Nobre a este cidadão.

Augusto Neves de Sousa

“Por ajudar diariamente cidadãos com deficiência e crianças e jovens em risco na Associação Rumo e na Nós – Associação de Pais e Técnicos para Integração do Deficiente, no Barreiro, facilitando o acesso de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho. Um Acto Nobre que pratica diariamente desde 1978 e que inspira os seus pares, pela extrema dedicação, perseverança e disponibilidade.”

Augusto Neves de Sousa, Domingos Silva, Maria do Céu da Conceição, Maria Gabriel Sousa e Hélder José Pereira esta semana foram homenageados pela Comissão de Honra da Nobre Casa de Cidadania, por actos reconhecidos de “excepcional nobreza em benefícios de terceiros e sem qualquer interesse pessoal”.

A cerimónia realizou-se no Pavilhão das Galeotas, em Lisboa, e reuniu cerca de 70 pessoas – incluindo outros cidadãos agraciados e respectivas famílias. “Ajudar cidadãos com deficiência e jovens em risco, fundar uma instituição, dedicar a própria vida em prol dos outros, transformar sofrimento em sorrisos e entrar numa casa em chamas foram os Actos Nobres que se evidenciaram e que revelam valores de integridade, honra e humanidade”, explicou a organização em comunicado.

Os Actos dos cidadãos homenageados com o Título Cidadão Nobre são “exemplo de uma sociedade humana, e inspiradora, da qual fazem parte cidadãos exemplares que, sem hesitar, fizeram a diferença ao encher de esperança a vida” de quem se cruzou no seu caminho.

Fonte: Green Savers

Garrett McNamara diverte-se a surfar a “Gasoline” no Barreiro

O surfista norte-americano Garrett MaNamara, conhecido internacionalmente por surfar ondas gigantes, esteve hoje no Barreiro, “divertindo-se” a experimentar a ‘Gasoline, a onda gerada pela passagem dos catamarans no rio Tejo.

McNamara chegou à praia do Bico Mexilhoeiro, no Barreiro, próxima do terminal fluvial, por volta das sete da manhã, e passou cerca de duas horas dentro de água para a sua primeira experiência com a ‘Gasoline’, a onda formada pela passagem dos barcos que transportam passageiros entre Barreiro e Lisboa (Terreiro do Paço).

Depois de algumas ondas bem-sucedidas e outras falhadas, McNamara saiu das águas do Tejo satisfeito com a experiência, garantindo ter-se “divertido bastante” e afirmando ter vontade de regressar.

Logo pelas sete da manhã havia muita gente na praia do Bico do Mexilhoeiro, local onde quebram as ondas provocadas pela passagem dos catamarans, com jornalistas e populares, sobretudo crianças e jovens a juntarem-se para ver o atleta em acção num local improvável.

A ‘Gasoline’ chega a atingir 150 metros de comprimento e a sua peculiaridade reside no facto de depender de condições específicas que só se verificam cerca de seis dias por mês, quando a “maré está vazia, é hora de ponta e o barco está cheio”, segundo explicou à Lusa o surfista português Ricardo Carrajola.

Onda da Nazaré coloca Garrett McNamara no Guiness

O norte-americano Garrett McNamara surfou uma onda de 27 metros e bateu o recorde mundial. Este Havaiano, de 44 anos, afirmou que depois de ter surfado a onda ficou com a sensação de que era “muito grande“, mas admitiu que só depois de ter sido instado por muitas pessoas, nomeadamente habitantes da Nazaré, decidiu pedir a confirmação oficial.

McNamara, começou a surfar aos 11 anos e tornou-se profissional aos 17, bateu um recorde que pertencia a Mike Parson, que em 2008 surfou uma onda de 23,47 metros. A 01 de novembro de 2011, durante o projeto ZON North Canyon Show, Garrett McNamara fez história e esta imagem correu mundo.

McNamara disse ser um privilegiado por participar neste festival. “Sinto-me abençoado por poder explorar esse fenómeno e este lugar. As ondas aqui são muito misteriosas”, em entrevista ao Diário de Leiria.

O «Canhão da Nazaré» é um desfiladeiro submarino de origem tectónica situado ao largo da costa da Nazaré. A falha na placa continental com cerca de 170 quilómetros de comprimento e cinco quilómetros de profundidade, canalizando a ondulação do Oceano Atlântico para a Praia do Norte, gera ondas gigantes  e proporciona condições únicas para os adeptos do surf mais radical.

Em 05 de maio último, foi atribuída pelos Billabong Big Wave Awards, uma espécie de óscares do surf, o prémio de Maior Onda Surfada do Ano à Praia do Norte, na Nazaré. A distinção remete-se à onda surfada por Garret McNamara em novembro do ano passado, registada em video pela equipa do surfista americano e na altura estimada em cerca de 30 metros, o equivalente a um prédio de dez andares.

Veleiro Cidade do Barreiro

Batismo do veleiro olímpico Cidade do Barreiro

A dupla de velejadores olímpicos

A dupla de velejadores olímpicos Álvaro Marinho e Miguel Nunes participou hoje na cerimónia de batismo do veleiro da classe 470 Cidade do Barreiro. Na presença de Marius França Pereira, amigo e patrocinador da dupla nas campanhas olímpicas para Atenas e Pequim, o veleiro foi lançado à água na doca de Belém.

Depois de um breve treino no Tejo, a dupla já preparou o barco para o transporte para Cádiz, Espanha, onde irá estagiar com algumas equipas estrangeiras em preparação para os Jogos de Londres.

O barco Cidade do Barreiro foi adquirido com financiamento da Federação Portuguesa de Vela e do Comité Olímpico de Portugal, tal como estipulado em contrato assinado com os velejadores, e foi batizado com o nome da Cidade, tal como os barcos anteriores, em honra à Câmara Municipal do Barreiro, por esta patrocinar a dupla olímpica desde o ano 2000.

Fonte: Nysse Arruda (Expresso.pt), em 03.02.2012

Carlos Oliveira, “Bóia”

O remo é um desporto aquático organizado a partir de meados doséculo XIX e desde muito cedo integrado no programa oficial dos Jogos Olímpicos. É um desporto de velocidade, praticado em barcos estreitos, nos quais os atletas se sentam sobre bancos móveis, de costas voltadas para a direcção do movimento, usando os remos para mover o barco o mais depressa possível, em geral em rios de água doce (rios, lagos, ou pistas construídas especialmente para a prática da modalidade), mas por vezes também no mar.

Pode ser praticado em diferentes categorias de barcos desde barcos para uma pessoa, duas, quatro, oito ou até mais. Cada remador pode conduzir o barco utilizando um ou dois remos dependendo do tipo de barco. Alguns barcos ainda podem ter incluída a presença de um timoneiro responsável por dar a direcção e o ritmo da remada aos atletas.

O remo é um desporto muito completo, quer do ponto de vista dos grupos musculares envolvidos (todos os grandes grupos musculares), quer do ponto de vista da demanda fisiológica que supõe. Na verdade, trata-se de um desporto de resistência-força, ou seja, um desporto que exige níveis muito elevados de força muscular e de resistência à fadiga. Assim, os remadores são, usualmente, muito fortes e bem musculados e possuem uma muito elevada capacidade aeróbica, para poderem oxigenar a grande quantidade de massa muscular utilizada no seu desporto. A combinação destas duas características confere-lhes uma capacidade física singular, senão única.

Terminologia

Os atletas

  • Proa: Atleta mais próximo da proa do barco, responsável pelo equilíbrio.Geralmente controla o leme em embarcações sem timoneiro.
  • Sota-Proa: Aquele que está imediatamente antes do Proa.
  • 1º Centro: Aquele que está imediatamente antes do Sota-Proa. Integrante da Meia nau.
  • 2º Centro: Aquele que está imediatamente antes do 1º Centro. O outro integrante da Meia nau.
  • Sota-Voga: Aquele que está imediatamente atrás do Voga, responsável pela voga do outro bordo.
  • Voga: Aquele que dá o ritmo ao barco, o que não tem ninguém à sua frente.(excepto por vezes o timoneiro, dependendo da embarcação).
  • Timoneiro: O que comanda o barco e controla o leme.
  • Meia nau: Conjunto de atletas do meio do barco.

Os tipos de barcos

PALAMENTA DUPLA (scull)  (2 remos por remador)

  • Skiff(1X): Peso=14 kg,Comprimento=8,20 m,2 remos/1 remador.
  • Double Skiff(2X): Peso=27 kg, Comprimento=10,40 m, 4 remos/2 remadores(Proa e Voga).
  • Four Skiff(4X): Peso=52 kg, Comprimento=13,40 m, 8 remos/4remadores(Proa, Sota-Proa, Sota-Voga e Voga).

PALAMENTA SIMPLES (shell)  (1 remo por remador)

  • Dois sem timoneiro(2-): Peso=27 kg, Comprimento=10,40 m, 2 remos/2remadores(Proa e Voga).
  • Dois com Timoneiro(2+): Peso=32 kg, Comprimento=10,40 m, 2 remos/2remadores e timoneiro(Proa e Voga).
  • Quatro sem timoneiro(4-): Peso=50 kg, Comprimento=13,40 m, 4 remos/4 remadores(Proa, Sota-Proa, Sota-Voga e Voga).
  • Quatro com Timoneiro(4+): Peso=51 kg, Comprimento=13,70 m, 4 remos/4 remadores e timoneiro (Proa, Sota-Proa, Sota-Voga e Voga).
  • Oito com timoneiro(8+): Peso=96 kg, Comprimento=19,90 m, 8 remos/8 remadores e timoneiro (Proa, Sota-Proa, 1º Centro, 2º Centro, Sota-Voga, Voga).

Termos usados durante a prática

  • Ataque: Quando o remo entra na água.
  • Final/Safe: Quando o remo é retirado da água.
  • Leva: Parar de remar e deixar o remo no ar permitindo ao barco continuar o seu movimento.
  • Pá de chapa/Patilhar: A pá do remo em contato com a água, em posição paralela.
  • Pega: Aumentar a força e cadência da remada.
  • Punhos a falca: Levar os punhos a falca para equilibrar o barco.
  • Cear”: Remar ao contrário, fazendo o barco andar para trás.
  • Remos no final: Posição inicial (normalmente com os remos na posição vertical)
  • Stop 1: Parar na fase da remada em que o tronco e os braços estao totalmente colocados
  • Stop 1: Parar na fase da remada em que apenas os braços estao colocados

COMPONENTES DOS BARCOS

  • Aranha
  • Falca
  • Forqueta
  • Travinca
  • Patilhão
  • Slide
  • Calhas
  • Finca pés
  • Caixa de ar
  • Quebra-mar

Remos

  • Punho
  • Tacão
  • Cana
  • Espinha

DIVERSOS

  • Bombordo: O lado direito do barco (para os remadores).
  • Boreste: O lado esquerdo do barco (para os remadores).
  • Proa: Para onde o barco se desloca.
  • Popa: De onde o barco vem. Também conhecido por ré.

MODALIDADES

Olímpicas
Actualmente existem 14 eventos de remo olímpico:
Homens: quadri-scull : 4X , double scull : 2X , skiff : 1X, oito : 8 + , quatro sem timoneiro : 4- , dois sem timoneiro : 2-
Homens Peso Ligeiro: double scull : 2X, quatro sem timoneiro : 4-
Mulheres: quadri-scull: 4X , double scull : 2X , skiff : 1X, oito : 8 + , quatro sem timoneiro : 4-
Mulheres Peso Ligeiro: double scull : 2X

REMADORES FAMOSOS
Mundiais
Ned Hanlan
Pertti Karppinen – 3 vezes campeão olímpico em skiff
Steve Redgrave
Viatcheslav Ivanov
Thomas Lange

Portugueses
Ana Gaudêncio, da Associação Naval de Lisboa
Carlos Oliveira, “Bóia”, do Grupo Desportivo Ferroviários do Barreiro
Hélder Assunção, do Grupo Desportivo Ferroviários do Barreiro
Henrique Capela Baixinho, do Sporting Clube Caminhense
Inês Cruz, do Grupo Desportivo Ferroviários do Barreiro
Rodrigo Duarte
Pedro Fraga, do Sport Clube Porto
Nuno Mendes, do Sport Clube Porto

Fontes: Wikipédia, a enciclopédia livre,
Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar (EMAM).

Jesse Owens, Berlin ’36

Em 1936, nos jogos Olímpicos de Berlim, James Cleveland JesseOwens ganhou quatro medalhas de ouro no atletismo, tendo triunfado na mediática prova dos 100 m. A sua vitória estragou os planos nazis de fazer o pleno das vitórias arianas, muito embora os alemães tenho ganho mais medalhas que qualquer outro país, sendo que os Jogos foram considerados um sucesso pelo regime. Hitler não terá cumprimentado Owens, mas mais tarde o atleta afirmou que quando passou em frente ao Führer, este ter-se-à levantado e acenado, tendo Owens respondido de igual forma. Hitler terá deixado de cumprimentar quaisquer atletas a seguir ao primeiro dia, quando tinha saudado apenas os atletas alemães; o comité olímpico terá pedido a Hitler para cumprimentar todos ou nenhum, sendo que Hitler escolheu a segunda hipótese. Quando Owens ganhou, Hitler nem se encontrava no estádio.

Owens, foi o primeiro atleta negro a receber um patrocínio, quando Adolf Dassler, fundador da Adidas, o convenceu a usar sapatilhas da sua marca. No salto em comprimento, o alemão Luz Long, que acabou por ficar em segundo lugar a seguir a Owens, sugeriu-lhe, quando Owens já tinha invalidado dois saltos da classificação, fizesse uma marca na pista uns centímetros antes da marca, para não arriscar demais. Na final, quando Owesn ganhou, o primeiro a cumprimentá-lo foi Long. Owens terá continuado a corresponder-se com a família de Long após a morte deste, na Segunda Guerra Mundial. Também na Berlim nazi, certo é que menos opressiva para a recepção da olimpíada, Owens pôde usar os transportes públicos livremente e entrar em bares e noutros lugares públicos sem problemas. Como é visível no video acima, a sua vitória foi efusivamente celebrada e nas ruas pediam-lhe tantos autógrafos que Owens se queixou da fama. Ao regressar aos Estados Unidos, houve uma parada na Quinta Avenida em Nova Iorque em sua honra, mas na subsequente recepção no hotel Waldorf-Astoria, Owens teve de tomar o elevador de serviço. Continuou a ter de andar na parte de trás do autocarro e nem Roosevelt, nem Truman o convidaram à Casa Branca. Sem patrocínios ou outros contratos phelpianos, Owens terá ganho algum dinheiro a correr contra cães e cavalos.

“Hitler não me desprezou – foi Roosevelt quem o fez.
O presidente nem um telegrama me enviou”.

Fonte: Saltos e Corridas | por Francisco Delgado