Novas leituras para antigas lutas


Revista Brasileira de História – Associação Nacional de História

Novas leituras para antigas lutas: representatividade e organização coletiva entre trabalhadores do ABC Paulista – 1964/1990

RESUMO:

O artigo procura mostrar como os trabalhadores da região do ABC Paulista, apesar da situação de extrema adversidade imposta pela ditadura militar, que perseguiu violentamente as lideranças e transformou as entidades representativas em meros órgãos assistencialistas, reagem a essa situação retomando a capacidade de luta e de organização coletiva. Discute também a aproximação ocorrida entre diferentes correntes da esquerda local como condição para o enfrentamento do regime militar, e chama a atenção para o fato de que as dificuldades criadas por esse mesmo regime forçaram um redimensionamento nas estratégias de intervenção social desses trabalhadores, dando origem à defesa de uma participação direta das bases nos processos decisórios e suplantando as tradicionais teses cupulistas. Conclui mostrando a importância dessas novas formulações no processo de criação e organização do PT e da CUT.

[PDF] http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=26303713 – Rev. bras. Hist., Set 1999, vol.19, no.37, p.279-309. ISSN  >> Autor: Antônio de Almeida

Depoimento do Pe. JOSÉ MAHON – padre operário nas “Indústrias Villares” em São Bernardo do Campo. Apoiou os movimentos de esquerda e a resistência à ditadura militar no Brasil (movimentos de jovens operários e grupos de esquerda e de resistência no ABC. Foi preso sete vezes, no 1º e 6º distrito por apoiar greves de trabalhadores).
Pe. José Mahon, nasceu no dia 8-11-1926 em Roubaíx, região Nord-Pas-de-Calais, França. Em 1939, com a eclosão da Segunda Guerra Mundial, mudou-se para o sul de França. Depois, para o Brasil, Portugal (Barreiro) e voltou ao Brasil em 2006. Religioso da congregação ‘Filhos da Caridade’, cujo pai lutou contra os alemães na 1ª Guerra Mundial e os irmãos lutaram contra o nazismo na 2ª Guerra Mundial.