Igreja de N.ª Sra. da Graça

Arquitectura religiosa, gótica, manuelina, renascentista. Igreja de planta longitudinal de nave única, com estrutura gótica nas capelas laterais, cujas abóbadas denunciam a nova linguagem arquitectónica do resto do monumento. Igreja de transição para o renascimento nos restauros do final do séc. 16 e nos silhares de azulejos de enxaquetado verde e branco. Aspecto escultural da arquitectura do manuelino dado na decoração da cantaria. Segue, de forma genérica, o esquema adoptado em outras igrejas pertencentes à Ordem de Santiago.

Igreja de Nossa Senhora da Graça

Igreja dos sécs. XVI a XX. Foi erigida pelos moradores do lugar de Palhais pertencia à Ordem Militar de Santiago. Obra atribuída ao arquitecto/canteiro Afonso Pires.

Com estilo Manuelino, possui uma única nave rectangular, paredes de alvenaria e revestimento de azulejos enxaquetados verdes e brancos do séc. XVI. Apresenta duas capelas funerárias quinhentistas laterais, do lado Norte a Capela do Espírito Santo e do lado Sul a Capela de S. Miguel.

No séc. XVI sofreu obras de ampliação sendo construídos o baptistério e a sacristia. Ostenta um Portal Manuelino que foi classificado como Monumento Nacional em 1922.

Portal - Monumento Nacional

O Portal apresenta uma ornamentação com elementos vegetalistas e escudete com albarrada, símbolo da Consagração à Virgem da Graça.
Foi encerrada ao culto em 1910 reabrindo após restauro em 1959.

Intervenção Realizada

1950 / 1959 – obras gerais de restauro; CMBarreiro, JFPalhais, Paróquia de Palhais:
1998 – obras de restauro, com arranjo do telhado da sacristia, para obviar a infiltração de água das chuvas, havendo dificuldade no fornecimento de telhas iguais às primitivas.

Para saber mais, clique em Descrição

Fonte: Albertina Belo, 1988  no sítio www.monumentos.pt