Uma História uma Vocação 2

FILHOS DA CARIDADE 50 ANOS – PARTE 2
INTRODUÇÃO

Os primeiros Filhos da Caridade fazem o noviciado e começam o seu apostolado na região de Paris. Aos poucos aparecem jovens interessados em viver este carisma e, com o passar dos anos, os Filhos da Caridade passam a assumir outras paróquias em Paris e no interior. O mundo operário começa a se organizar: sindicatos, Juventude Operária Cristã, e outros movimentos.

Em 1936, na França, a Frente Popular consegue várias vantagens: o salário mínimo, 15 dias de férias pagas por ano, mas a exploração ainda continua forte. Presentes nas lutas operárias, mas ainda mais preocupados em evangelizar, os Filhos da Caridade já passam o número de 100. A segunda guerra Mundial traz grandes dificuldades, mas também novas esperanças porque os padres, ao voltarem da guerra, percebem que a evangelização não pode continuar com o sistema antigo: os padres devem viver mais perto do povo. Assim nascem os padres-operários por volta de 1947 (a guerra terminou em 1945).
As vocações tornam-se mais numerosas: com mais de cento e cinqüenta filhos da Caridade novas paróquias estão sendo assumidas em várias regiões da França, do norte ao sul. Os anos passam e a evangelização dos pobres e trabalhadores empolga cada vez mais um bom número de jovens.

A INTERNACIONALIZAÇÃO

O mundo estava mudando e ficava cada vez mais claro que a classe operária crescia em todas as grandes cidades do mundo. Alguns se perguntam: ”Por que não atender os apelos da classe operária fora da França?” Com esta indagação, as bases da internacionalização de nossa congregação religiosa surgem. Os responsáveis de nosso Governo Geral estudam as possibilidades: na América do Norte, em terras canadenses já existem Filhos da Caridade. Então, por que não enviar religiosos em terras africanas e no contexto sul-americano? Estas argumentações ganharam força e em 1961, decide-se o envio dos primeiros religiosos ao Brasil: “Era hora de atravessarmos o oceano”, não apenas fisicamente, mas também espiritualmente.

Era o Gênese (origem) da grande aventura da “internacionalização” do Instituto. Atualmente estamos no Brasil, Colômbia, México, Cuba, Canadá, Costa de Marfim, República Popular do Congo, República Democrática do Congo, Filipinas, Espanha, Portugal e França.

Estamos presentes em doze países, cada qual com suas particularidades e nestas páginas desejamos partilhar a realidade brasileira, “O Florão da América” que nos acolhe há 50 anos. São muitas histórias, riquíssimas experiências e tudo isto aconteceu, porque dissemos sim à “Evangelização dos Pobres e Trabalhadores”.

1961-2011: 50 anos da presença dos Filhos da Caridade no Brasil: meio século, com muitas histórias: é um pouco uma “História Santa” embora teve sempre altos e baixos pois tudo o que é humano tem falhas.

PARTE 3