49ª SESSÃO SOLENE

14 DE SETEMBRO DE 2009

049ª SESSÃO SOLENE EM COMEMORAÇÃO AOS “99 ANOS DO SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA”

…O SR. DONISETE BRAGA – PT – Boa noite a toda nação corinthiana aqui presente. Quero cumprimentar e saudar o Deputado Conte Lopes, nosso Presidente; cumprimentar o Deputado Said Mourad pela brilhante iniciativa, saudar o meu Presidente do Corinthians Andrés Sanchez, e em nome dele cumprimentar todos os presentes aqui neste evento simbólico marcante nesta noite. Em nome da Sra. Marlene Matheus quero cumprimentar todas as mulheres corinthianas do nosso Brasil e as mulheres corinthianas aqui presentes nesta noite.

Eu fiz questão de homenagear o jornalista tão conceituado do nosso rádio brasileiro, o nosso professor Heródoto Barbeiro não só porque também é do rádio, mas quando a nação corinthiana não pode pagar os ingressos para ver o time jogar, ela escuta. E sem dúvida alguma não só porque o Heródoto é um grande corinthiano, grande jornalista e grande corinthiano, mas também simbolicamente o rádio representa a emoção do futebol pois muitas pessoas muitas vezes não podem estar no estádio de futebol.

Como bem falou aqui o Deputado João Caramez, nem todos nascem corinthianos, mas eu nasci corinthiano. Com 10 anos de idade, no dia 13 de outubro de 1977, o padre José Mahon na minha cidade de Mauá, um padre corinthiano fechou a paróquia e convidou toda a comunidade para assistir a final depois de 22 anos oito meses e seis dias de um grande jejum corinthiano. Então, para mim, aquela noite foi marcante, e é por isso que eu me tornei corinthiano. Quero agradecer não só o padre José Mahon por ter me induzido, e hoje é motivo pra mim de muita honra ser corinthiano, mas quero ler aqui um trecho da fala do Basílio que naquela noite fez o gol depois de 22 anos de história de um jejum: “A terceira partida do Paulistão de 77 foi a melhor que nós fizemos no campeonato. Jogamos determinados, fomos pacientes, e também atrevidos, tanto que mesmo precisando do empate fomos para cima da Ponte Preta. No primeiro tempo merecíamos ter feito um, dois ou três gols. Na segunda etapa o jogo ficou equilibrado até o gol. O lance saiu de uma bola parada, e eu depois do bate e rebate fiz o gol de direita e corri para a galera. Após o jogo queríamos dar a volta olímpica, mas foi impossível, pouco importa, o que valeu mesmo foi a festa e o fim do jejum. Basílio”. (Palmas.)

Eu quero entregar aqui para o Heródoto o certificado em mãos, os 23 anos em sete segundos.

Andrés, eu estou trazendo para o Heródoto uma camisa de treino para que ele possa jogar no nosso time de veteranos, master do Corinthians. Muito obrigado pela sua presença aqui. (Palmas.)

Fonte: Portal da ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo